Em Pernambuco tem Leão


“Eu nunca duvidei dos poderes desta Ilha…”

Ao contrário de anos anteriores, desta vez a Copa do Brasil não foi conquistada pelo time pequeno. Na final entre um time grande, da primeira divisão, e um desafiante da segundona, deu a lógica: o Sport Clube do Recife é campeão da Copa do Brasil, vinte e um anos depois de ser campeão brasileiro. Com este título, o Sport passa a ser o maior vencedor do futebol nordestino moderno, superando o Bahia, que tem “apenas” um brasileiro.

E, provocações à parte, foi talvez o título mais justo da história recente da Copa do Brasil. Depois de vários anos em que o campeão só pegava time grande na final, graças ao regulamento esdrúxulo do torneio brasileiro, dessa vez o Sport chegou ao título jogando como gente grande. E sempre usando o fator casa a seu favor.

 

“Ei, minha juba é natural! Quem pinta o cabelo é outro Leão…”

Primeiro, o Imperatriz (MA). Empate fora, vitória por 4×1 em casa. Veio o Brasiliense (DF). Duas vitórias, 2×1 em Brasília e um novo 4×1 na Ilha do Retiro. Nas oitavas, o Palmeiras (SP). Empate de 0x0 em São Paulo. E na Ilha? Que pergunta… 4×1, claro! Nas quartas-de-final, em Porto Alegre, o Sport perdeu a invencibilidade: 1×0 para o Internacional (RS). Na Ilha, a valentia rubro-negra reapareceu e o Leão sapecou 3×1 no Colorado.

Vieram as semi-finais, e o Vasco (RJ). O sorteio, pela primeira vez, inverteu a ordem dos jogos. A primeira partida foi na Ilha. O Sport “só” conseguiu fazer 2×0. A pergunta agora era: será que eles vão conseguir decidir fora? Será que o Sport aguenta o caldeirão de São Januário? Meu comentário você lê aqui. O resultado foi uma vitória do Vasco por 2×0 e a vitória do Leão nos penaltis, por 5×4.

“Ah, o Edmundo…”

Na final, o Sport enfrentou o Corinthians e toda a pressão da mídia, doida para contar a “história triunfal do gigante alvinegro e seus loucos torcedores”. O Sport estava ali apenas como coadjuvante. A festa tinha que ser do Timão. Afinal, havia uma lenda a caminho: “o Timão renasce das cinzas, e ganha um título nacional no ano em que caiu para a segunda divisão”. A redenção. Ano que vem, o Corinthians seria garantia de audiência televisiva nos jogos da Libertadores. Sport? Ah, sim, o vice tá bom pra você, não tá?

No primeiro jogo, o Corinthians abriu um, dois, três a zero. Parecia liquidar a fatura. No finalzinho, Enílton descontou. 3×1. E Carlinhos Bala profetizou: era o gol do título.

Difícil? Sim. Mas no Recife tem Leão. E se o Corinthians tem uma camisa roxa, o Sport tinha o resto.

“Meu amigo, eu estou acostumado a encarar urso polar… Gambá pra mim é tira-gosto!”

E a Ilha funcionou mais uma vez. Dois gols em três minutos decretaram a vitória e o título do Sport Clube do Recife. O resto é história.

Parabéns ao Sport, o único rubro-negro do mundo que merece a minha torcida. Sport e Vasco são clubes irmãos, e mesmo com algumas pilhas exageradas nessa semi-final, esse fato não mudou. Vocês só precisam aprender a cantar direito a música que copiaram da gente! É “casaca”, e não “cazá”! 🙂

E parabéns também ao Corinthians. Afinal, apesar da choradeira do Mano e dus mano, não ouvi ninguém sugerindo tentar roubar o título do Leão no grito ou no tapetão. Já é mais do que o que aquele outro clube vem tentando fazer há 21 anos…

“Chora, Rede Globo, o sonho acabou. Libertadores, sou eu que vou!”

Anúncios

5 Responses to Em Pernambuco tem Leão

  1. Carol disse:

    Essas legendas…. 🙂

  2. Bina disse:

    A melhor imagem é a do Locke :-p Nem parece montagem de tão perfeita :-p
    Agora vc coloca imagens!!!! :-p Mas eu sei que é apenas para colocar as legendas :-p
    :-*

  3. Carol disse:

    “Nem parece montagem de tão perfeita”?
    Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar. Eu não vou comentar.

  4. Edson Lima ou edinho disse:

    sou pernanbucano moro 24 anos no Pará torço pelo paysandu e nunca deixei de amar o sport recife os colegas do Pará me pediram pra torçer pelo leão daqui mas eu falei pra eles q no brasil só existe um leão e é o leão da ilha do retiro eu continuo dizendo ” Pelo sport nada, tudo” um abraço para os amigos rubro negro d todo brasil e um abraço especial para o meu amigo nando d Santo Aleixo PE 😀

  5. Fabio disse:

    LIBERTADORES? ISSO NÃO TE PERTENCE MAIS!

    HAHAHAHAHAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAAH

    PAAAAAALALLLLLMMMMMMMEEIIIIIIIRASSSSSSSSS

    DALE PALMEIRAS

    AVANTI PALESTRA, SCOPPIA CHE LA VITÒRIA E NOSTRA!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: