Futebol de segunda – e arbitragens de quinta


Sábado, Beira-Rio, Porto Alegre. Internacional e Atlético-PR empatavam em 0x0, até aos 43 do segundo tempo. Faltando dois minutos para acabar o jogo, um jogador do Inter é derrubado fora da área. Muito fora. O árbitro, o carioca Luís Antônio Silva Santos marca penalti. Alex bate, e faz Inter 1×0.

O Atlético vai pra cima, buscando o empate. Num ataque, a bola sobra limpa, para Pedro Oldoni, sem marcação, empatar o jogo. Ou melhor, sobraria. Porque Luís Antônio resolveu parar a jogada, para marcar uma falta inofensiva, bem longe de qualquer perigo para o gol colorado.

No domingo, São Paulo e Náutico empatavam em 0x0, até aos 10 do segundo tempo. Num lance confuso, um jogador do São Paulo deu um soco (involuntário) no juiz. Acosta, o craque do Náutico, veio cobrar um cartão e foi expulso, com vermelho direto, pelo juiz, carioca, Vágner Tardelli. Um minuto depois, o São Paulo fez 1×0. Mais quatro minutos, Tardelli marca um penalti meio estranho, e o Tricolor amplia, garantindo a vitória.

Mais tarde, ainda no domingo, Flamengo e Goiás jogam no Maracanã. Quando o jogo ainda estava 0x0, Fábio Luciano faz um penalti limpo, cristalino, em Cristiano, um daqueles impossível de não ser marcado. Mas o juiz não marca. Minutos depois, Léo Medeiros abre o caminho do Flamengo para a vitória.

E foi assim que, pela primeira vez em 21 rodadas, o Flamengo saiu, momentaneamente, da zona. Com a ajuda dos resultados combinados. Perdão, quero dizer, com a combinação de resultados.

*****************************

Foi um fim de semana bem movimentado para o futebol do Rio. Dois árbitros cariocas fazendo lambanças, em jogos que interessavam diretamente a um time carioca. Esse mesmo time carioca sendo beneficiado pela arbitragem do seu jogo. Outro time carioca sendo prejudicado, numa arbitragem confusa de um senhor que veio do Amazonas, esse grande centro de excelência do futebol brasileiro. Nada muito diferente do costume.

Juca Kfouri:

 

A massa foi ao Maraca. E viu um jogo movimentado, com o Flamengo sentindo falta de Roger, de alguém para pensar seu jogo. E viu o árbitro não marcar um pênalti clamoroso de Fábio Luciano em Cristiano, que foi abalroado pelo zagueiro rubro-negro.

Ney Franco, treinador do Atlético, e até outro dia treinador do Flamengo (ou seja, sabe bem como as coisas funcionam por lá):

Parece árbitro declaradamente flamenguista e temos que ficar atentos a isso. Não tenho um adjetivo para definir o que aconteceu. Um árbitro desse tem que ser execrado. É revoltante. Enfrentar o Internacional é muito difícil, campo molhado, pesado, e dava para ver desde o início que o juiz estava levando o jogo. Quando faltava pouco, ele marcou o pênalti.

 

Pois é, meu caro Ney. Você passou um ano e pouco sendo estilingue, agora conheceu o sabor amargo de ser vidraça.

Sérgio Corrêa, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem:

O Luis Antônio vai conversar com um orientador da Federação do Rio e está automaticamente fora do sorteio da próxima rodada. Ele também passará por uma reavaliação e deve apitar alguns jogos de divisões inferiores (Série B e C) antes de voltar à elite do futebol.

Adianta muito uma geladeira, agora que ele já fez o “trabalho” e botou o Atlético numa “fria”…

 

Alberto Maculan, diretor de futebol do Atlético:

Eu falei antes que seríamos roubados. Era estranho um árbitro carioca apitar aqui no Sul. Isso é sacanagem. Acho que foi lamentável o que aconteceu. Eu falei antes do jogo que achei muito estranho o Flamengo estar na zona de rebaixamento e árbitro carioca apitar jogos de times próximos. Meu medo se confirmou. Foram pelo menos cinco lances capitais. O pênalti foi absurdo, mais de um metro fora da área. No fim, o Bahia dribla todo mundo, a bola escapa para o Pedro, que ia fazer o gol, era lei da vantagem, ele (árbitro) não dá. A CBF tem que cuidar. Árbitros cariocas não podem apitar jogos dos times que estão próximos do Flamengo na tabela. Lógico que vamos tomar atitudes. Ele tem que ser banido, foi um absurdo, estou muito revoltado.

Todos estamos, Maculan. Todos estamos.

Gustavo Poli, do GloboEsporte.com:

Foi-se o tempo em que o videoteipe, como dizia Nelson Rodrigues, era burro. Hoje ele tem cinco, dez câmeras disponíveis. Um ângulo pode sugerir dúvida. Com cinco.. é muito difícil. Por causa disso sabemos:

– Que Erandir (ATL-PR) derrubou Jonas (INT) muito fora da área. E que Luiz Antonio Silva Santos não viu assim.

– Que Pedro Oldone (ATL-PR) recebeu a bola livre aos 49 minutos dentro da área colorada… mas o mesmo Luiz Antonio preferiu marcar uma falta no lance anterior em vez de dar a vantagem.

– Que Fábio Luciano (FLA) empurrou grosseiramente Cristiano (GOI) no Maracanã quando o jogo estava 0 a 0. E que o árbitro Paulo Godoy Bezerra achou o lance normal.

– Que Júnior Maranhão bloqueou a passagem de Wágner Diniz (VAS) com um carrinho ilegal – um pênalti cristalino que o juiz Washington Souza não marcou.”

***************************************************

“Ah ,eles são humanos, eles erram”. Poxa. Mas custa, UMA VEZ NA VIDA, eles serem menos seletivos e pararem de errar SEMPRE pro mesmo lado?!

E assim la nave va. Muitos erros, e sempre beneficiando os mesmos. Juízes comprometidos, que já entram no tribunal com seus votos decididos, e já sabendo o resultado que vão atingir no final. Às vezes parece que só mudam as moscas.

Para quem ainda não viu os lances:

O NÃO-penalti sobre Jonas, no jogo Inter x Atlético-PR
O penalti de Fábio Luciano, do Flamengo, sobre Cristiano
O penalti sobre Wagner Diniz, do Vasco

Anúncios

2 Responses to Futebol de segunda – e arbitragens de quinta

  1. L.S.D. disse:

    Ei! Concordo que houve um certo exagero nessa rodada. Porém, o Inter não é sempre beneficiado. Basta lembrar que na rodada passada, estávamos chorando as pitangas por conta de um erro que beneficiou o Botafogo. O mesmo Botafogo que foi prejudicado duas rodadas atrás. Na verdade, acho que é só uma mistura de incompetência com modernos recursos técnicos que flagram todos os erros dos juizes.

  2. Bina disse:

    Fique tranquilo L.S.D., o unico time “SEMPRE BENEFICIADO”, no Brasil, segundo nosso querido blogueiro, é o Flamengo. E o time “SEMPRE PREJUDICADO” é aquele que tem um dirigente que é santo, um homem de carater ilibado chamado Eurico Miranda. :-p

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: